Para um novo ano

Sei que é clichê fazer esses apanhados de livros para encerrar o ano, mas não resisti à fazer o meu! 2012 termina com um total de 39 obras lidas: algumas simples e descomplicadas, enredos leves e pouco aprofundados; outras, herméticas e minuciosas. E todas valeram a pena, cada uma à sua maneira.

anonovo

Comecei janeiro com Nemesis, de Philip Roth e fui até a Batismo de Fogo, do Vargas Llosa. Me encantei com o Livro de Areia, do Jorge Luis Borges, e as Intermitências da Morte, de Saramago.

Me surpreendi especialmente com A Vida de Pi, de Yann Martel, emprestado por uma amiga querida. “Esse livro vai mudar a sua vida”, disse ela ao me entregá-lo. Não foi para tanto, mas realmente me prendeu até suas últimas palavras.

Amei os mistérios de Aura, do mexicano Carlos Fuentes, um dos maiores escritores fantásticos da América Latina. E comecei minha jornada adentrando a extensa obra de Gabriel García Márquez, tema do meu TCC, com Amor nos Tempos do Cólera e  A triste história de Erêndira e sua avó desalmada.

Por fim, passei por clássicos como Anna Karenina, de Tolstói, a Odisséia, de Homero, Dom Quixote, de Cervantes, e Esperando Godot, de Samuel Beckett – sendo esse último um dos top 3 do ano, com toda a certeza.

Vou viajar e espero voltar com a resenha pronta de Precisamos Falar Sobre Kevin, que vai ficar para a próximo balanço, e muitas outras novidades aqui para o blog. Um ótimo ano novo para todos! :)

Anúncios

Melhores inícios

Tem livros que são tão bons, que começam ótimos já desde as primeiras linhas. Eles te conquistam de primeira e você não os larga mais.

Pensando nisso, fiz a minha listinha do que considero as aberturas mais incríveis que já li, em ordem de preferência.

5. Medo e Delírio em Las Vegas – Hunter S. Thompson

 “Estávamos em algum lugar perto de Barstow, à beira do deserto, quando as drogas começaram a fazer efeito…”

4. Ana Karênina – Liev Tolstói

“Todas as famílias felizes se parecem entre si; as infelizes são infelizes cada uma à sua maneira”

3. Apanhador no Campo de Centeio – J.D. Salinger

“Se querem realmente saber a meu respeito, a primeira coisa que provavelmente vão querer saber é onde nasci, e como foi a desgraçada da minha infância, o que meus pais faziam antes de me terem, e toda aquela baboseira tipo David Copperfield, mas não estou afim disso, se querem saber a verdade.”

2. A Metamorfose – Franz Kafka

“Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso.”

1. Lolita – Vladimir Nabokov

“Lolita, luz da minha vida, fogo da minha virilidade. Meu pecado, minha alma. Lo-li-ta: a ponta da língua faz uma viagem de três passos pelo céu da boca abaixo e, no terceiro, bate nos dentes. Lo. Li. Ta.
Pela manhã, um metro e trinta e dois a espichar dos soquetes; era Lo, apenas Lo. De calças práticas, era Lola. Na escola, era Dolly. Era Dolores na linha pontilhada onde assinava o nome. Mas nos meus braços era sempre Lolita.”